Piolhos – o que fazer com esses bichinhos?

Piolho

por Suzy Belai Para quem tem criança em idade escolar ou trabalha em escolas, sabe bem como a pediculose assusta. Uma infestação de piolhos que pode ter como consequência, além do stress e do baixo rendimento escolar, o aparecimento de … Continuar lendo

Cursos de Plantas Medicinais e Fitoterápicos serão realizados em Poconé

Publicado em Notícias | 04/03/2011 Dando sequência ao projeto “Levantamento etnofarmacológico de plantas medicinais do Distrito Nossa Senhora Aparecida do Chumbo, em Poconé – MT”, iniciado em novembro do ano passado, serão realizados no município, localizado a 102 km de … Continuar lendo

Exposição a plantas pode aumentar imunidade

Exposição a plantas pode aumentar imunidade Substância produzida pelas plantas seria benéfica aos humanos No verão, alergias e a promessa do ar condicionado tendem a levar as pessoas a lugares fechados. Mas para aqueles que conseguem suportar o calor e … Continuar lendo

H1N1 e viroses

por Suzy Belai

Muitas informações vêm sendo veiculadas na internet. Algumas espalhando um terror disfarçado, outras menosprezando, outras ainda servindo de des-serviço à saúde pública. Porém, existem blogs, sites e mensagens que ajudam a conscientizar e são verdadeiramente úteis.

Nesta época do ano (outono), os dias são quentes e as noites mais frias. Época que  exige um maior cuidado, principalmente com crianças e idosos.

É importante observar que as pessoas mais propensas a ficarem gripadas, com dengue, molusco contagioso, entre outras viroses, são aquelas que estão com a imunidade baixa, na maioria das vezes devido ao estresse, alimentação inadequada (muito açúcar, sal, refrigerantes, químicos…), falta de uma atividade prazeirosa, atividade física, de sono, terapia… enfim, não resistem às oscilações do ambiente.

Então o que fazer?

Clique aqui para saber

Uso de plantas medicinais de tradição popular – Regulamentados pela ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta quarta-feira (10) uma regulamentação para o uso de plantas medicinais, com o objetivo de popularizar a prática. A medida, que faz parte da RDC 10, busca esclarecer quando e como as drogas vegetais devem ser usadas para se alcançar efeitos benéficos.

“O alho é um famoso expectorante e muita gente tem o hábito de usá-lo com água fervente. No entanto, para aproveitar melhor as propriedades terapêuticas, o ideal é deixá-lo macerar, ou seja, descansar em água à temperatura ambiente”, explica a coordenadora de fitoterápicos da Anvisa, Ana Cecília Carvalho.

Inaladas, ingeridas, usadas em gargarejos ou em banhos de assento, as drogas vegetais têm formas específicas de uso e a ação terapêutica é totalmente influenciada pela forma de preparo. Algumas possuem substâncias que se degradam em altas temperaturas e por isso devem ser maceradas. Já as cascas, raízes, caules, sementes e alguns tipos de folhas devem ser preparados em água quente. Frutos, flores e grande parte das folhas devem ser preparadas por meio de infusão, caso em que se joga água fervente sobre o produto, tampando e aguardando um tempo determinado para a ingestão.

Ler artigo completo 

Fonte: Uol Notícias – Ciência e Saúde