Inteligência Imunológica Vegetal e a Aromaterapia

por Arnaldo V. Carvalho
 
Muito antes dos dinossauros, o reino vegetal se desenvolveu. Desde lá, aprendeu a defender-se e perpetuar-se. Os perigos vinham não somente das condições climáticas e do solo, mas também de um inimigo comum ao homem: os microorganismos. Bactérias, fungos e vírus ainda atacam e destroem todas as complexas formas de vida. Porém, um grupo especial de plantas descobriu uma estratégia contra a qual as bactérias sempre perdem. Elas passaram a fazer circular em todos os seus tecidos, da raiz ao caule, certas substâncias praticamente infalíveis, e assim, tornaram-se as plantas dentre as mais longevas e resistentes do planeta. Estamos falando de secretoras de óleo essencial, conhecidas ainda como plantas aromáticas. O óleo essencial armazena esse conjunto de substâncias, e cuidam tanto da sexualidade como da imunidade da planta. O aroma que o óleo essencial possui, uma vez liberado no ar, segue “limpando”, matando os germes em suspensão. Essa é a estratégia anti-fúngica dos eucaliptos por exemplo, ou antibiótica das árvores cítricas.

O ser humano, com sua afinidade com o reino vegetal, tem em seu organismo células bastante compatíveis com o óleo essencial.

Para continuar lendo, clique aqui.

Anúncios