O Cardápio do Prazer

A ciência começa a decifrar como os alimentos podem tornar sua vida sexual mais feliz e até aumentar a fertilidade

por Cilene Pereira, Greice Rodrigues e Mônica Tarantino

Sedução Exposta Nas Artes
A combinação de sexo e alimentos sempre fez parte das fantasias da humanidade. Conhecida como a fruta do pecado, a maçã, por exemplo, é o símbolo da tentação. Vermelha e suculenta, está associada ao triunfo dos impulsos, ao desejo, à sensualidade. Portanto, é afrodisíaca. Uma fama que atravessou séculos. Ostras e pimentas também compõem a lista de alimentos aos quais se atribui o poder de melhorar a vida sexual. E, se até agora suas qualidades estimulantes eram tidas como folclore por muita gente, seus efeitos começam a ser vistos com outros olhos pela ciência e estudados com mais rigor. Um dos motivos para esse interesse é o reconhecimento, pela Organização Mundial de Saúde, de que a atividade sexual satisfatória é um dos pilares da boa qualidade de vida. Por isso, vale a pena procurar tudo o que possa contribuir para que isso se torne uma realidade cada vez mais acessível a todos. É um esforço que está produzindo novas informações sobre o papel dos nutrientes para enriquecer cada etapa – da atração ao orgasmo, do desejo ao aumento da fertilidade. E, aos poucos, faz surgir o que se pode chamar de dieta da sexualidade.

Este é um pequeno trecho de uma interessante e longa reportagem da Isto É. Para ler na íntegra clique aqui .

Anúncios